Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Como trabalhar leitura e escrita de infográficos na Alfabetização
23/02/2018 11:36 em Tecnologia

 

Troque experiências e boas práticas sobre o processo de aquisição da língua escrita.

21 de Fevereiro de 2018
 Por: Mara Mansani
 
Como trabalhar leitura e escrita de infográficos na Alfabetização

O gênero é pouco lembrado pelos professores mas pode garantir ricas produções

 
 
 
Infográfico produzido por alunos do 1º ano da Escola Estadual Laila Galep Sacker., em 2014. Crédito: Mara Mansani

Depois de tantos anos de vivência em sala de aula, tenho a clareza de que muita coisa se transformou ao longo dos anos. Os tempo são outros, o mundo não é mais o mesmo. Nossos alunos e suas necessidades de aprendizagem também se transformaram, mas muitas de nossas ações e práticas em sala continuam as mesmas ou pouco se renovaram. Na chamada "era da informação e da tecnologia", às vezes nós professores ainda utilizamos práticas retrógradas e até inadequadas. A alfabetização é prova do que falo.

Não que tenhamos que abandonar o que vem dando certo e que continua contribuindo para o processo de alfabetização, mas precisamos nos apropriar de práticas educativas inovadoras, que deem conta de atender as novas demandas.

Um bom começo é ampliar e explorar o uso de diferentes gêneros textuais para alfabetizar. Ainda bem que não sou mais a mesma professora de início de carreira, que alfabetizava os alunos muitas vezes só com um ou dois tipos de textos durante todo o ano: listas de palavras e textos de memória (apesar de ainda fazer uso desses dois gêneros até hoje).

Pensando no que propõe a BNCC em Língua Portuguesa, venho refletindo bastante sobre a prática de leitura e produção textual que vão além do básico e utilizam textos presentes na realidade do século 21: os infográficos.

Mas, afinal, o que é um infográfico?

É um texto da atualidade, que envolve vários elementos, como dados numéricos, imagens e escrita. As informações são compactas e precisas, em uma união da linguagem visual com a verbal. Por ser composto de vários elementos de variadas formas de linguagem, pode ser considerado um texto multimodal. E a BNCC traz essa proposta de utilizar textos multimodais. Veja um exemplo abaixo:

Crédito: Planeta Sustentável

Trato aqui o infográfico como um gêneor textual, mas muitos pesquisadores da linguagem consideram-no como um recurso de design em comunicação. O principal é que ele já faz parte do nosso cotidiano.

Pode ser considerado um texto jornalístico, pelo predomínio de sua função informativa e pelos canais onde geralmente é veiculado: jornais, sites e revistas. Mas ele também apresenta características de texto instrucional, informativo, pois pode explicar e dar orientações precisas para a realização de uma atividade, como se prevenir de alguma doença.

Textos como os infográficos têm tudo a ver com a nova geração de leitores, que esperam e querem entender tudo de maneira clara, objetiva e rápida.

Como usar os infográficos em sala de aula?

Em um primeiro momento, apresente, leia, interprete e explore diferentes infográficos com os alunos. Na internet, há vários, com uma gama enorme de temas. Para selecioná-los, leve em conta o nível de aprendizagens dos alunos, sua idade e a confiabilidade da fonte. Tem muita informação equivocada sendo veiculada nas redes, é preciso verificar com atenção.

Veja abaixo mais um exemplo de infográfico que costumo usar. Ele e o anterior são do antigo site Planeta Sustentável e trazem informações importantes sobre o uso da água na produção dos alimentos e pelas nações no mundo.


Antes de ler, ofereço o infográfico aos alunos, para que levantem suas hipóteses iniciais sobre o que quer dizer o texto. Mesmo crianças que estão no início da alfabetização e ainda não leem convencionalmente, já fazem uma interpretação bem próxima do que informa o gráfico, por conta do auxílio das imagens. Depois pergunto a eles se já conhecem ou já viram esse texto em algum lugar. Só depois de levantar o que já sabem eu vou para a leitura propriamente dita.

Em um segundo momento, levando com meus alunos os elementos que constituem o infográfico. Destaco o título, os textos explicativos, as imagens e outros elementos que os próprios alunos indicam, sempre com foco no tema do texto e qual informação ele passa aos leitores. Chamo a atenção também à fonte, que geralmente aparece no rodapé.

 

Por fim, é chegado o momento de produzir uma primeira tentativa de infográfico, coletivamente. Escolhemos um tema que pode ser explorado visualmente, geralmente algo que tenha a ver com o universo escolar ou familiar. Em grupos, eles escrevem a respeito do tema e depois pensamos coletivamente em um desenho que represente-o.

A imagem que abre este post é uma produção real de alunos do 1º ano, que queriam aconselhar os pais sobre como criar seus filhos, na visão dos pequenos. Eles escreveram e desenharam. Eu coloquei todas as escritas e imagens no computador, e com auxílio de um editor de textos, coletivamente organizamos e finalizamos. Resultado: um texto com sentido para as crianças e significativo para os pais.

Com o tempo e mais produções, podemos aprimorar a escrita e o uso dos elementos no texto. Mas o foco é alfabetizar lendo e escrevendo textos que fazem parte do nosso cotidiano. Já os alunos mais velhos conseguem fazer um infográfico utilizando todos os elementos e até alguns dados de pesquisas.

Espero que tenham gostado da prática e que se juntem a mim na exploração de infográficos com os alunos. Depois, volte aqui e compartilhe conosco o que achou e quais foram os resultados da experiência.

Um grande abraço e até a próxima semana!

Mara Mansani

https://novaescola.org.br/conteudo/10136/blog-alfabetizacao-leitura-escrita-producao-de-infograficos-sala-de-aula

 

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!